top of page

Cúpula da Amazônia e a pauta de segurança alimentar nas cidades amazônicas

Atualizado: 5 de nov. de 2023



Nos próximos dias 8 e 9 de agosto, em Belém, no Pará, acontece a Cúpula da Amazônia que reúne representantes do Brasil e outros 7 países da Amazônia com objetivo de realizar uma cooperação entre esses países e parceiros em prol do desenvolvimento sustentável da região e negociar sobre questões climáticas globais. A ideia é que esses países construam uma posição conjunta a ser levada para Conferência do Clima das Nações Unidas, a COP28, nos Emirados Árabes, entre 30 de novembro e 12 de dezembro deste ano.


Antes da Cúpula, entre os dias 04 e 06 de agosto, acontecerá os Diálogos Amazônicos, conhecido como a “pré-cúpula”, que reunirá iniciativas da sociedade civil para pautar a formulação de novas estratégias para a Amazônia que resultará em cartas a serem apresentadas aos representantes dos países amazônicos na abertura da Cúpula.


Esse é um momento importante para debater e buscar soluções para os problemas sociais que afetam esse bioma e as pessoas que nele vivem. Na perspectiva brasileira, um desses problemas é a insegurança alimentar e nutricional (INSAN), pois mesmo com a abundância de recursos naturais, a Amazônia apresenta o pior cenário de INSAN, com menor acesso e disponibilidade de alimentos, menor diversidade de dieta e maior carga de desnutrição crônica infantil em relação ao restante do país,de acordo com os Dados do Índice Multidimensional de Sistemas Alimentares Sustentáveis Revisado para o Brasil (MISFS-R).


Diante desse cenário é urgente discutir estratégias para melhoria da segurança alimentar e nutricional da Amazônia junto com a população e governos locais, de forma multidisciplinar, pensando em políticas públicas alimentares que promovam desenvolvimento local, fortalecendo o abastecimento e consumo de alimentos saudáveis e a diminuição das desigualdades sociais enfrentadas pelas populações locais.


Nossa participação nos Diálogos Amazônicos


Para levar essa pauta para o centro da mesa, o Instituto Comida do Amanhã em parceria com o Instituto Regenera e Instituto Fronteiras do Desenvolvimento realizam um debate com o tema “O Caminho Político do Alimento: Como garantir uma alimentação mais saudável, sustentável e justa para os amazônidas e o planeta?” dentro do Diálogos Amazônicos, no dia 05 de agosto, na Universidade Federal do Pará (UFPA) - Sala QB1 das 8h às 10h.


Esse evento terá representantes do poder público, movimentos sociais e sociedade civil entendendo o papel de cada um na garantia de uma melhor alimentação para os amazônidas. Além disso, serão discutidos os múltiplos aspectos das políticas públicas alimentares em cidades amazônicas, a comercialização de alimentos agroecológicos, compras públicas de populações originárias e tradicionais, políticas de combate à insegurança alimentar e nutricional, educação alimentar e produção agrícola alimentar por meio de agroflorestas.


Ainda no dia 05, às 14h, no Hangar Centro de Convenções, o Instituto Comida do Amanhã participará do evento sobre “Desafios dos sistemas alimentares urbanos” promovido pelo Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, com objetivo de elencar os desafios para a garantia da Segurança Alimentar e Nutricional em cidades dos países amazônicos e compartilhar soluções e caminhos de cooperação, considerando as especificidades dos sistemas alimentares amazônicos, suas

potencialidades e desafios


Para finalizar a agenda, no dia 07, às 9h, Francine Xavier, diretora do Comida do Amanhã, participa do 4º encontro presencial sobre Sistemas Alimentares Sustentáveis com o recorte territorial Norte, organizado pelo WWF-Brasil, no Canto Coworking, para discutir os principais desafios e soluções aos sistemas alimentares da região, com enfoque em questões como contaminação mercurial, agrotóxicos, desmatamento e o potencial da sociobiodiversidade para promoção da segurança alimentar e nutricional e conservação do bioma.


Debates como esses são importantes para colocar as pessoas da Amazônia como protagonistas das soluções para os seus territórios junto ao poder público e a sociedade civil, por isso, a relevância de levar a pauta de segurança alimentar dentro da Cúpula da Amazônia, pois só assim será possível construir soluções para uma alimentação mais inclusiva, sustentável e justa para todos os amazônidas.


65 visualizações

Comentarios


bottom of page