Legumes em saco

FOOD SYSTEMS DIALOGUES

O QUE É?

Diálogos globais para sistemas alimentares sustentáveis e saudáveis

Devido a mecanismos insuficientes atualmente disponíveis que encorajem que todos os stakeholders do sistema alimentar se encontrem, conversem, e concordem em agir de forma conjunta, o ganhador do prêmio mundial da alimentação, David Nabarro iniciou em 2018 uma iniciativa global denominada Food Systems Dialogues, pelo qual co-organiza Diálogos sobre os Sistemas Alimentares pelo mundo, ou dá suporte a que Diálogos independentes sejam organizados, e, juntos, esses debates formem uma rede de tópicos e compromissos que possam eventualmente influir nos debates que serão realizados no World Food System Summit previsto para 2021.

 

Os Diálogos sobre os Sistemas Alimentares são, portanto, uma série global de mesas-redondas de discussão facilitada, que encoraja ação coletiva para transformar os sistemas alimentares. Cada mesa de debate recebe um tópico de discussão que é apresentado como uma afirmação, um objetivo que deve ser alcançado num futuro próximo, para o qual os participantes da mesa devem interagir e identificar como podem atuar, colaborativamente, nesse sentido, e o que é necessário para que essa afirmação se torne realidade.

 

A finalidade maior e principal do Food Systems Dialogues é apoiar a transformação que permita, no futuro, que todas as pessoas tenham acesso a dietas nutritivas e saudáveis a partir de alimentos produzidos de forma sustentável. 

 

Os Diálogos unem diversos atores dos sistemas alimentares (com expertise em agricultura, saúde pública, comida e bebida, gastronomia, marketing, ação humanitária) de governos, sociedade civil, empresas e academia, para compartilharem perspectivas, examinarem oportunidades e compreenderem os compromissos que devem ser assumidos para promover a mudança. 

 

Desde o lançamento em Junho de 2018, mais de 20 Diálogos aconteceram na Europa, Ásia, África, Austrália, e nas Américas do Sul e do Norte, envolvendo mais de 1.200 líderes e profissionais de múltiplas organizações. Assista aqui um vídeo explicativo de David Nabarro.

Legumes em saco

CONECTANDO ATORES DOS SISTEMAS ALIMENTARES

LISTAGEM DE PRIORIDADES EMERGENTES E ORIENTADO PARA A AÇÃO

MESAS-REDONDAS COM DEBATES FACILITADOS

UMA COMUNIDADE GLOBAL

INTERDISCIPLINAR E HORIZONTAL, DIÁLOGO NA DIVERGÊNCIA

Diálogo Brasil - covid.19

encontro online sobre sistemas alimentares

e a pandemia do covid-19

 

Com o início da pandemia de Covid-19, os desafios globais dos sistemas alimentares se aprofundaram e alcançaram uma urgência ainda maior. Restrições de mobilidade, de atividades econômicas e de comércio internacional causaram e vêm causando disrupções no sistema alimentar. 

Os Diálogos dos Sistemas Alimentares oferecem uma oportunidade de ampliar e aprofundar conversas multi-setoriais sobre o impacto da Covid-19 nos sistemas alimentares. A ideia é trazer à tona a discussões e iniciativas que já estão em andamento, assim como motivar transformações de curto e longo prazo que sejam inclusivas e atentas ao sistema como um todo.

A série especial de Diálogos dos Sistemas Alimentares

- COVID-19 tem como foco as situações específicas do cenário nacional ou regional do país de realização de cada evento, encorajando que se busque a maior diversidade possível de atores e partes interessadas. 

 

Instituto Comida do Amanhã, com a curadoria do Professor José Graziano da Silva, e apoio do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) organizou o primeiro Diálogo do FSD no Brasil em Junho de 2020, para um público de 40 pessoas convidadas representantes de diversos setores do sistema alimentar, seguindo a metodologia global de Food Systems Dialogues*, a fim de promover debates intersetoriais sobre os impactos da pandemia de Covid-19 no sistema alimentar brasileiro, permitir o diálogo e a conexão com as discussões globais, e ser também uma oportunidade de explorar opções para as possíveis transformações de curto e longo prazo do sistema alimentar nacional. 

*Seja como evento independente ou co-organizado, os Diálogos seguem a metodologia do FSD global. A série de eventos dedicados à Covid-19 é totalmente online, com participantes de setores diferentes, previamente definidos pela organização e curadoria do evento. As discussões são moderadas por um/a facilitador/a, a fim de permitir que o grupo formule uma proposta de ação para um problema específico, que é depois compartilhada com os demais participantes do evento.

O evento é fechado para os convidados e facilitadores selecionados pela curadoria do evento e suas identidades mantidas anônimas na divulgação dos resultados dos debates, de acordo com Chattam House Rules. Um resumo final das discussões é tornado público para embasar o olhar sobre os desafios debatidos e contribuir para a colheita de resultados de todos os encontros globais do FSD (confira os 10 temas centrais - threads - dos Food Systems Dialogues globais clicando aqui  (inglês) e aqui (espanhol). 

FSD . abertura

junho 2020 - vídeo 01

Fala de abertura - Professor José Graziano da Silva (curador do encontro)

FSD . encerramento

junho 2020 - vídeo 02

Fala de encerramento - Professor José Graziano da Silva (curador do encontro)

Legumes em saco

Diálogo Brasil em números

07 mesas redondas / 07 facilitadores / 07 temas urgentes

43 participantes de 5 setores relacionados ao sistema alimentar

120 minutos totais de encontro

curadoria Prof. José Graziano da Silva

(ex diretor geral FAO)

temas de debate

Os temas de debate são construídos dentro de uma perspetiva de cenário de futuro: pedimos aos participantes para imaginarem que as afirmações colocadas serão verdadeiras no futuro e os questionamos: como poderemos chegar lá? o que nos impede de chegar lá e precisa ser destravado? os resultados dessas perguntas compõem o plano de ação, as diretrizes para avançar na agenda, e são sistematizados no relatório FSD, que será publicado em breve. Abaixo, os 7 temas explorados - um tema por cada grupo.

A produção de alimentos saudáveis atualmente disponível, mesmo após a pandemia de COVID, alcança todas as classes sociais, especialmente os mais vulneráveis, com perdas e desperdícios reduzidos, além de garantir que produtores e produtoras são adequadamente remunerados pelo seu trabalho

1.

Produtores rurais, cooperativas, pequenos e médios negócios não têm suas receitas afetadas pelas medidas restritivas implementadas em resposta a pandemias de COVID ou outras semelhantes.

3.

Tanto os pacotes de recuperação pós-COVID quanto as adaptações em resposta à crise decorrente da pandemia contribuem para a transformação dos sistemas alimentares em direção ao cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

5.

As medidas emergenciais, o sistema de proteção social existente e os arranjos intersetoriais - somados às ações ordinárias de políticas de saúde, educação e segurança alimentar - foram e são suficientes tanto para garantir que a fome não se instalasse massivamente após a pandemia de COVID, quanto para reduzir o número de pessoas obesas na população.

7.

Há baixo risco de contaminação por COVID entre todos os atores da cadeia de alimentos, do campo ao prato. Estão em prática protocolos sanitários e de rastreamento inteligentes e inclusivos: a alimentação segura é também nutritiva e adequada, sem excluir arranjos locais de produção e consumo.

2.

Os sistemas alimentares são resilientes a futuras epidemias de COVID: continuam a funcionar normalmente, mesmo em constante ameaça de novos surtos de COVID, sem interrupção de programas de segurança alimentar e nutricional, nem abalos ao abastecimento e à distribuição de comida.

4.

Após a pandemia de COVID, consumidores de todas as classes sociais conhecem cada vez mais a origem dos alimentos que compõem suas dietas, conhecem a cadeia de fornecimento do campo ao prato, e são cientes dos impactos que essa cadeia gera no sistema alimentar como um todo.

6.

dúvidas?

saiba mais sobre o Food Systems Dialogues e acesse relatórios de edições em outros países:

foodsystemsdialogues.org