• Roberta Curan

Multifuncionalidade da Agricultura Urbana e Periurbana.

Atualizado: 7 de jul. de 2021


Falar de agricultura, em geral, nos remete às paisagens rurais, mas você sabia que é possível produzir alimentos em áreas próximas às cidades, ou até mesmo dentro delas? Conhecida como Agricultura Urbana e Periurbana, esta prática tem como princípio o cultivo de plantas e a criação de animais no espaço urbano ou no entorno deste, com características bem definidas como o uso de resíduos orgânicos urbanos como adubo; proximidade com o mercado consumidor; e claro, neste caso os agricultores são os cidadãos urbanos.

No contexto de crescimento da população urbana global e da pandemia da Covid-19, a Agricultura Urbana e Periurbana apresenta não apenas a função de produzir alimentos. As hortas e áreas destinadas para a produção estão muitas vezes conectadas com movimentos ambientais e sociais que reivindicam o direito à cidade, a promoção de cidades mais saudáveis e sustentáveis, espaços ao ar livre e o contato com a natureza. Sabemos que existem desafios atrelados a esta prática, mas a intenção aqui é mostrar que este modelo pode desempenhar um importante papel na transição para sistemas alimentares saudáveis e sustentáveis, inclusivos e empoderadores, biodiversos e culturalmente integrados.

De acordo com um artigo desenvolvido a partir da minha dissertação de mestrado e recém publicado na Revista Estudos Avançados do IEA-USP, em que estudei de forma aprofundada 14 artigos científicos, apresento que as funções da Agricultura Urbana e Periurbana podem ser divididas em três principais dimensões: sociocultural, econômica e ambiental.