• comida do amanhã

FAO orienta cidades a agirem em situação de emergência alimentar


baixe a versão pdf desse texto e compartilhe clicando aqui


FAO orienta cidades a agirem em situação de emergência alimentar, e países a apoiarem cidades a se planejarem para o futuro pós-pandemia


A FAO - Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura – publicou, em 9 de abril, documento de orientação para as cidades e governos locais lidarem com as possíveis emergências oriundas da crise do Covid-19 nos sistemas alimentares urbanos.


Probabilidade de disrupção dos sistemas alimentares urbanos devido às medidas de isolamento e restrição de mobilidade tomadas para contenção da pandemia


Segundo a FAO, os principais desafios enfrentados pelas cidades que estão combatendo a propagação da Covid-19, no tocante a seus sistemas alimentares, são o grande risco de aumento da insegurança alimentar e nutricional de seus cidadãos. Em especial:

(i) a vulnerabilidade à insegurança alimentar das populações que vivem em condições de habitação precárias, como favelas e assentamentos super-populosos; (ii) as mudanças provocadas no abastecimento alimentar das cidades, seja no tocante ao acesso físico quanto ao acesso financeiro à alimentação saudável e nutritiva – algumas cidades enfrentam ou enfrentarão verdadeiras crises de abastecimento, outras no mínimo, uma dificuldade impulsionada pelo aumento dos preços desses alimentos; (iii) redução de renda para os trabalhadores informais do varejo de alimentação e demais atividades das cadeias de abastecimento; (iv) migração das cidades para áreas rurais, devido aos desafios de manutenção da alimentação.


Portanto, as cidades devem estar preparadas para lidar com (i) aumentos de preços de alimentos saudáveis; (ii) falta de comida saudável; e (iii) empobrecimento da população com consequente aumento da fome e má-nutrição.