• comida do amanhã

Juliana Tângari nomeada como uma das “Champions” da Cúpula da ONU sobre Sistemas Alimentares.

ONU reúne atores diversos dos sistemas alimentares para discutir e definir ações transformadoras.




Em outubro de 2019, o Secretário Geral da ONU António Guterres anunciou que seria realizado o primeiro “Food Systems Summit”. O encontro global está ancorado na década de ação para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) que deverão ser atingidos até 2030.


O objetivo da Cúpula é orientar a implementação da agenda 2030 partindo de uma perspectiva sobre os sistemas alimentares e sua potencialidade de impacto nos mais diversos desafios: de mudança climática à erradicação da fome, de redução de desigualdades à preservação da vida terrestre, entre outros.


Para identificar os desafios principais e caminhos a seguir, foram designados inicialmente 60 “Champions” (número que irá crescer ao longo do tempo com a incorporação de novos líderes - atualmente são 106 Champions): pessoas chave, líderes nas suas áreas de atuação e comunidades, que poderão advogar por sistemas alimentares mais resilientes e sustentáveis, mobilizar suas redes e comunidades, alimentar os debates, construção e definições da Cúpula de 2021.


Em regra, os Champions possuem históricos de atuação na transformação dos sistemas alimentares, representando grupos específicos - comunidades indígenas e tradicionais, agricultores, chefs, ativistas de direitos humanos - ou trazendo profundo conhecimento em áreas fundamentais como políticas públicas, pesquisa e conhecimento, tecnologia, nutrição, negócios e setor privado, saúde, mudanças climáticas, entre outros. São nomeados por indicação dos próprios membros da Rede ou por indicação da principal liderança da Cúpula, Agnes Kalibata.


Uma das pessoas recentemente escolhidas para guiar este movimento de transformação global, juntando-se ao nosso senior advisor José Graziano da Silva, foi Juliana Tângari. Mestre em direito civil, especialista em direito internacional e direito civil-constitucional, pesquisadora de políticas públicas e políticas alimentares urbanas desde 2014, Juliana Tângari foi presidente do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional da cidade do Rio de Janeiro (CONSEA - Rio) entre 2016 e 2018 e atualmente é diretora do Instituto Comida do Amanhã.


Ao integrar o quadro de Champions para a Reunião de Cúpula sobre Sistemas Alimentares da Organização das Nações Unidas, nossa diretora será mais uma brasileira a compor o grupo e contribuirá com todo seu conhecimento teórico e prático sobre a promoção da alimentação saudável, adequada e sustentável para todos, especialmente sob a perspectiva das ações locais e do papel das cidades nessa transformação. É também mais uma contribuição do olhar brasileiro - das contradições e possibilidades dos sistemas alimentares brasileiros - e, assim, do Sul Global para a Cúpula.


A importância de representantes da sociedade civil na construção e monitoramento das atividades da Cúpula é o que move o Instituto Comida do Amanhã a se envolver e se aproximar desse processo, trazendo vozes comprometidas com direitos humanos e com equidade entre atores do sistema alimentar, mas também com o reconhecimento de todos os impactos colaterais dos modelos hegemônicos da atualidade. Porque, afinal, o que importa é trabalhar para a promoção da integração do direito universal à alimentação saudável em todas as políticas públicas e privadas direta ou indiretamente relacionadas à alimentação.



O que comemos muda o mundo.


11 visualizações