• Mónica Guerra Rocha

Ventre-terra e suas Deusas


“Vive dentro de mim a mulher cozinheira. Pimenta e cebola. Quitute bem feito. Panela de barro. Taipa de lenha. Cozinha antiga toda pretinha. Bem cacheada de picumã. Pedra pontuda. Cumbuco de coco. Pisando alho-sal.

Cora Coralina – Todas as vidas (1965)

Na última lua cheia, fui em uma benção do útero na Ilha de Paquetá. 23 mulheres reunidas, entre mais de 150.000 que pelo mundo, naquela mesma hora, se reuniam para que a mesma bênção acontecesse. Fui com uma amiga, e outras três, conectadas exatamente na mesma missão, estavam ora sós, ora em outros grupos parecidos com o meu.

Na chegada, três jarras: leite, hibisco, água. Cada uma de nós levava de casa duas taças, uma boneca, um objeto, uma vela, frutas.

Uma das taças receberia a vela, do fogo que gera a vida, na outra um dos três líquidos que escolheríamos: leite para quem ovula, hibisco a quem menstrua, água a todas as demais.